Vereadores abordam diferentes temas durante a 97ª Sessão – Câmara Municipal de Vinhedo
Câmara Municipal de Vinhedo

Vereadores abordam diferentes temas durante a 97ª Sessão

190520_97_Sessao_Ordinaria (23)

A pauta do expediente da 97ª Sessão Ordinária, realizada nessa segunda-feira, 20, foi composta por cinco projetos de Decreto Legislativo, um projeto de Resolução, cinco requerimentos, seis moções e 20 indicações.

A sessão não teve matérias para discussão e votação. Sem conteúdo na Ordem do Dia, os destaques da noite foram as falas livres dos parlamentares na fase de Explicação Pessoal.

Explicação Pessoal

Marcos Ferraz (PSD) abriu a fase de Explicação Pessoal parabenizando a Cervejaria Germânia pelo lançamento de uma cerveja especial em comemoração aos 70 anos de Vinhedo. “Entregamos nessa noite uma moção à Cervejaria Germânia, uma empresa genuinamente vinhedense que recentemente realizou um evento de sucesso em nossa cidade e agora lançou uma cerveja com rótulo rementendo ao município, no qual parte do valor da venda será destinado ao Lar da Caridade de Vinhedo”.

Geraldinho Cangussú (PV) parabenizou os pedagogos pelo transcurso de seu dia. “Gostaria de dar o parabéns pelo Dia do Pedagogo. Mais do que o professor, o pedagogo abrange uma área ampla. Tenho várias pessoas na família que são pedagogos, portanto conheço o trabalho árduo dessa profissão”.

O presidente da Câmara, vereador Edu Gelmi (MDB), citou as propostas por melhorias mais citadas pelos alunos do 8º e 9º ano que estão participando do programa Parlamento Jovem. “Em continuidade ao trabalho iniciado no ano passado, promovemos diversas palestras pelo programa Parlamento Jovem, visitando 12 escolas diferentes. Esses adolescentes, de 14 a 15 anos, já sabem o que querem, e por isso citarei os temas que mais foram lembrados por eles quando questionados sobre o que faltava nas respectivas escolas. Manutenção da infraestrutura, falta de professores e uniformes, que embora não seja lei, por três anos a Prefeitura já deixa de oferecer as vestes. Jovens que moram em nosso município e estudam em nossa escolas nos apresentam a triste realidade de Vinhedo”.

Em relação à saúde, Edson PC (PDT) apontou alguns problemas vividos na cidade. “A Santa Casa, UPA e Policlínica estão sempre lotadas, o exames demoram meses para serem realizados. Peço ao Prefeito que ao menos abra o atendimento da pediatria das 19 horas em diante, na Policlínica da Capela e na UPA, evitando a sobrecarga na Santa Casa”.

Sobre a situação de moradores em situação de rua em Vinhedo, Carlos Florentino (PV) disse concordar com a necessidade de se fazer uma força tarefa para tratar da questão, mas discordou em relação à real necessidade dessas pessoas. “Discordo quando dizem que os moradores de rua são pessoas que precisam de ajuda, pois na verdade boa parte sequer quer ser ajudada. Nós da Guarda Municipal frequentemente somos chamados para atender ocorrências no Residencial Aquário, casos inclusive de ameaça a moradores. Já encontramos até arma branca com um dos moradores de rua. Acredito que o número de moradores de rua em Vinhedo tem crescido absurdamente, e entendo que a Secretaria de Assistência Social em conjunto com a Secretaria de Segurança deve promover uma ação para controlar essa situação, mas infelizmente 90% não quer ser ajudado”.

Também sobre a situação dos moradores em situação de rua, Ana Genezini (MDB) reforçou a necessidade da Prefeitura proteger os patrimônios públicos. “Realmente muitos moradores em situação de rua estão assim por opção de vida, porém, ao mesmo tempo em que cabe às secretarias envolvidas fazer uma abordagem junto a essas pessoas para oferecer ajuda, cabe também à administração municipal zelar pelo patrimônio público. A reclamação da população é de que alguns lugares, como a pracinha, foram totalmente tomados por moradores de rua, que usam o espaço como banheiro a céu aberto, além de praticar pequenos delitos. As pessoas que moram no entorno desses locais não podem conviver com isso, e muito menos o poder público pode aceitar isso. O município tem a obrigação de fazer algo a fim de proteger o patrimônio público, que pertence a toda coletividade. Não podemos obrigar o morador em situação de rua a receber tratamento, mas nossas praças não podem ser dominadas”.

Valdir Barreto (PSOL) comentou sobre a insegurança em relação à prevenção de incêndios em prédios públicos. “Especificamente nos prédios públicos, em especial em creches e escolas municipais, vivemos uma situação de insegurança contra incêndios. Os prédios públicos de Vinhedo não possuem licença do Corpo de Bombeiros, e em 70% das escolas municipais os extintores estão vencidos desde 2018. Imagine a situação dos pais que matriculam as crianças nas escolas, imaginando que as deixam em um local seguro, ou mesmo a dos servidores, que diariamente trabalham em locais de risco. Fiz uma denúncia ao Ministério Público, oficiei o Corpo de Bombeiros e os conselhos municipais dos Direitos da Pessoa com Deficiência, da Educação, da Criança e do Adolescente, e da Saúde”.

Sandro Rebecca (PDT) também falou da situação dos moradores de rua. “Faço coro aos vereadores que me antecederam, e lembro que isso se trata de uma questão de política pública. Vou retomar um projeto de minha autoria, do passado, que trata da questão, e convidarei os demais vereadores a participar”.

Rui “Macaxeira” (PSB) tratou de sua participação em reunião do Conselho do Consórcio PCJ. “Estivemos em Americana para acompanhar a prestação de contas referentes ao último biênio e a eleição de nova mesa diretora do Conselho. Cada cidade banhada pelas bacias do PCJ tem representantes nesse conselho, e eu represento Vinhedo”.

A viagem à Brasília foi tema de Rubens Nunes (MDB). “Em nossa visita à Brasília estivemos junto ao deputado Kim Kataguiri e outros, protocolando pedidos de emendas para a educação, segurança, saúde e para a pavimentação asfáltica de diferentes vias da cidade. Agradeço o vereador Marcos Ferraz, por ter intermediado uma reunião com Guilherme Campos, do Sebrae”.

Paulinho Palmeira (PV) reforçou seu pedido para execução do programa Cidade Limpa. “Tenho reforçado que o programa Cidade Limpa seja aplicado todos os anos. Apesar disso, temos uma demanda tão grande que, além do programa, seria importante mantermos os mutirões no bairros para limpeza, podas e retiradas de entulhos”.

Por fim, Nil Ramos (PSDB) citou que as duas denúncias contra ele encaminhada ao Ministério Público por suposta irregularidade na ampliação da Câmara foram arquivadas pelo órgão. “Fizemos a obra de ampliação e reforma do plenário da Câmara, porém algumas pessoas fizeram denúncia ao Ministério Público por supostas irregularidades. O MP de Vinhedo arquivou a denúncia. Não contentes, refizeram a denúncia ao Conselho Superior do Ministério Público do Estado de São Paulo, na capital, porém o Conselho também arquivou a denúncia. A obra é regular, como os órgãos competentes acabam de demonstrar”.

 


Fonte: Comunicação Institucional CMV.

 

Últimas Notícias

Edu Gelmi pede mais participação e melhor planejamento da Secretaria de Educaçãoleia mais

Câmara aprova emendas debatidas com a comunidade para o Plano Municipal de Mobilidadeleia mais

Rubens Nunes apresenta Moção de Apelo para manutenção da passarela que liga Nova Canudos ao Centroleia mais

Marcos Ferraz se posiciona acerca da aprovação do Plano de Mobilidade Urbanaleia mais

Rui “Macaxeira” solicita poda de galhos em trechos da Estrada da Capelaleia mais

Av. Dois de Abril, 78 - Centro -
Vinhedo/SP - CEP 13280-077


(19) 3826-7700


imprensa@camaravinhedo.sp.gov.br

Input Center Tecnologia