Edu Gelmi alerta sobre a necessidade de planejamento hídrico na construção do Plano Diretor – Câmara Municipal de Vinhedo
Câmara Municipal de Vinhedo

Edu Gelmi alerta sobre a necessidade de planejamento hídrico na construção do Plano Diretor

191118_119_Sessao_Ordinaria (77)

Durante a 119ª Sessão Ordinária, o presidente Edu Gelmi (MDB) apresentou importantes temas que devem ser tratados no Plano Diretor de Vinhedo. O vereador destacou a necessidade de planejamento dos recursos hídricos e afirmou que é necessário aceitar a atual realidade de escassez e adotar medidas urgentes para corrigir o problema no futuro.

“Tenho acompanhado as reuniões e discussões do Plano Diretor e é necessário compreender que, de fato, temos estiagem, assim como ocorre em outras cidades. Isso é uma questão natural, em alguns anos a estiagem é maior, em outros menor – mas existe, enquanto o planejamento da Prefeitura é zero…”, lamentou Edu Gelmi.

O presidente da Casa de Leis de Vinhedo usou exemplos para comprovar sua afirmação de falta de planejamento na gestão do Executivo Municipal: “na ETA 3, do São Joaquim, foram gastos R$ 13 milhões e a estação não funciona; a ETA 2, na Capela, que poderia ter sido ampliada com valor muito menor, não foi melhorada; e a água do Capivari, que poderia ser tratada na ETA 2 e contribuir para o abastecimento na Capela – mas que novamente nada foi feito”.

Para reforçar a necessidade de reflorestamento nas nascentes, Edu Gelmi citou estudo contratado pela Prefeitura ainda na época do Plano Diretor vigente, mas que, segundo o vereador, até o momento não foi aplicado. “Há cinco anos, estudo feito pelo professor Rinaldo indicava que as nascentes teriam que ser reflorestadas. Faz anos que se discute Plano Diretor e não fizeram nada no reflorestamento – então não vai aumentar o volume de água produzido dentro da nossa municipalidade”, alertou o vereador.

O presidente do Legislativo vinhedense criticou a decisão pela verticalização da cidade sem o necessário enfrentamento da crise hídrica e discursou: “definiram verticalizar o município e permitir prédio de oito andares. Temos água para isso?”.

Edu Gelmi alertou para o fato de que mesmo sem água Vinhedo tem vários empreendimentos imobiliários em fase de construção e, ainda, ressaltando a responsabilidade dos vereadores na análise, discussão e votação do Plano Diretor.

“Não tem como produzir água do dia para a noite e, em Vinhedo, já pipocam prédios de quatro andares, inclusive o ‘Minha Casa, Minha Vida’ – que na verdade não atendem o cidadão que está na lista espera por uma casa própria, mas sim os interesses do empresário, e isto é um direito do empreendedor. Acontecem coisas difíceis de entender em Vinhedo, mas o fato é que esse Plano Diretor vai chegar aqui, na Câmara, e então essa Casa vai ter que definir o que será feito”, concluiu Edu Gelmi.

 

 

 


Fonte: Gabinete da Presidência | Vereador Edu Gelmi (MDB)

Últimas Notícias

Duplicação da rodovia que liga Vinhedo a Louveira é tema de reunião entre Rubens Nunes e o prefeito louveirense, Estanislau Steckleia mais

Prefeitura atende indicação de Val Souza e anuncia datas das provas do concurso nº 01/2020leia mais

Aferição de radares da cidade é mais uma vez proposto por Rodrigo Luglioleia mais

Paulinho Palmeira reitera pedidos por melhorias no sistema de captação de águaleia mais

Vereador Rubens Nunes cobra da Prefeitura o fechamento de valetas e buracos próximo ao CEI Monteiro Lobato, no Três Irmãosleia mais



Av. Dois de Abril, 78 - Centro -
Vinhedo/SP - CEP 13280-077


(19) 3826-7700


imprensa@camaravinhedo.sp.gov.br

Input Center Tecnologia