Câmara Municipal de Vinhedo

Prefeitura inicia campanha do Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio instituído no município por Lei de Carlos Florentino

Projeto de Lei que deu origem à campanha também foi assinado por Rui “Macaxeira” (PSB)

Desde 2017, no mês de setembro, anualmente a Prefeitura de Vinhedo promove o Setembro Amarelo, campanha de prevenção ao suicídio instituída pela Lei Ordinária 3.796/2017, de autoria do 2º secretário da Câmara, vereador Carlos Florentino (PV), e também assinada pelo vereador Rui “Macaxeira” (PSB).

A campanha de 2018 teve início nessa semana, por meio da distribuição de folhetos informativos, por parte da Secretaria de Saúde, que tratam de mitos e verdades em relação ao tema orientam a população em geral sobre como agir em caso de suspeita de que alguém planeja se suicidar.

A Lei, aprovada por unanimidade pela Câmara em 2017, foi elaborada por Carlos Florentino e assinada em conjunto pelo vereador Rui “Macaxeira” após o registro de vários casos de suicídio na cidade no início daquele ano. “No início de 2017, aconteceram vários casos de suicídios em Vinhedo, o que foi muito assustador, mas serviu de alerta para que desenvolvêssemos políticas públicas de prevenção às essas ocorrências”, explica Carlos Florentino.

O mês de setembro foi escolhido para a realização anual da campanha pelo fato do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio ser celebrado em 10 de setembro.

Mitos e Verdades

O assunto, que ainda é um tabu para muita gente, está envolto a mitos.

Na cartilha da campanha estão especificados esses mitos em relação ao suicídio, como as crenças errôneas de que:

– Quem quer se matar não avisa;

– Matar-se é uma decisão individual (cada um sabe o que é melhor para si);

– Ambivalência é sinal de manipulação;

– Deve-se minimizar o problema com mensagens de falso apoio como: “do que você está reclamando? Você tem tudo!

– Falar sobre suicídio aumenta o risco.

Esses mitos contribuem para o aumento no registro de suicídios na cidade e em todo país, e devem ser combatidos

Algumas verdades sobre o suicídio, e que devem ser consideradas no apoio à quem cogita tal ato, são:

– Falar sobre o desejo de se matar é um pedido de ajuda;

– Doença mental relaciona-se com suicídio em 90% dos casos. Afeta a percepção de realidade e o livre arbítrio;

– Ambivalência é a expressão do conflito Viver/Não Viver;

– É preciso entender que a dor de cada um é muito particular;

– Falar sobre o suicídio é abrir um cana de escuta, propicia alívio de angústia e tensão.

Sinais para se atentar e o que fazer para ajudar

Alguns sinais podem indicar que determinada pessoa está cogitando o suicídio, como o registro de tentativas anteriores, acesso aos possíveis meios de suicídio (cordas, venenos, lugares altos, armas etc), estigmas e os 4D de alertas: depressão, desespero, desesperança e desamparo.

Para cada morte por suicídio ocorrem ao menos 20 tentativas, é preciso estar atento.

Caso seja detectado que determinada pessoa pretende se matar, devemos oferecer escuta, ser empático, e direcionar para os serviços de saúde da cidade por meio dos telefones:

UPA – 192

CAPS – (19) 3826-3986

Psicologia CASM – (19) 3836-3790

Psicologia Planalto – (19) 3876-1841

CVV – 188


Fonte: Gabinete do vereador Carlos Florentino (PV)

Últimas Notícias

Presidente Edu Gelmi e vereadores recebem visita da Rainha e Princesas da Festa da Uva e do Vinho de Vinhedoleia mais

Com Edu Gelmi na presidência, nova mesa diretora da Câmara chefiará os trabalhos do Legislativo no biênio 2019/2020leia mais

Legislativo mantém serviços à população durante o período de recessoleia mais

Nil Ramos apresenta resultados do exercício 2018: mais de R$ 3 milhões em economia destinada ao Executivoleia mais

Secretário de Saúde presta contas a presidente da Câmara referente à aplicação de emenda impositiva à LOA 2018leia mais

Av. Dois de Abril, 78 - Centro -
Vinhedo/SP - CEP 13280-077


(19) 3826-7700


imprensa@camaravinhedo.sp.gov.br

Input Center Tecnologia